Tiro Tático Dinâmico | A competição

Compartilhe em suas redes sociais!

Você já conhece a modalidade de tiro esportivo chamada Tiro Tático Dinâmico? Também conhecida como TTD, fomos convidados pelo amigo João Rosetti para conhecer a modalidade, que é muito interessante e competitiva, pois exige do atirador rapidez, raciocínio e destreza nos disparos.

Pra quem já conhece as provas do IDSC, o Tiro Tático Dinâmico foi concebido com base nos requisitos do Tiro Defensivo, e por isso tem se tornado cada vez mais popular nos clubes de tiro, assim como as provas do Regional CBC Taurus e o Tiro Rápido de Precisão.

A modalidade visa aprimorar a habilidade do atirador em pistas que simulam situações do cotidiano em geral. Para isso aplicam-se regras e regulamentos à filosofia “SPV”, que consiste em “S” de segurança, “P” de precisão e “V” de velocidade.

O Clube

Nossa visita foi na John Lenin Custom, que fica na Capital de São Paulo, onde tivemos a satisfação de conhecer o dono do Clube, João, que também é uma das referências nacionais no segmento de Armaria e Customizações. Nosso bate-papo foi com o próprio João, idealizador do TTD, que nos explicou as principais regras da modalidade, já que o regulamento é bem extenso (20 páginas).

Qualquer pessoa que tenha CR válido pode participar do Tiro Tático Dinâmico, contudo, precisará fazer um teste de avaliação antes para garantir que conseguirá fazer a prova em segurança. Isso porque no TTD o atirador vai ter que fazer disparos com mão forte, mão fraca, e o mais difícil para a maioria das pessoas, atirar em deslocamento, tanto para frente quanto para trás.

Os alvos são os mais variados possíveis e em função disso cria-se uma prioridade ao engajá-los. Por exemplo, alvos com pistola devem ser engajados antes que os alvos com faca e em seguida os alvos pardos comuns. Além disso, a pista pode te oferecer alvos em diferentes distâncias e isso te obriga a resolver as ameaças de forma prioritária também.

E é claro que numa situação defensiva não deixaríamos de ter os reféns, que na verdade representam transeuntes em meio a situação hipotética da pista. O atirador deve ter total atenção aqui, pois um tiro num alvo refém vai tirar muitos pontos.

A classificação de cada etapa será dada pela maior porcentagem em cada categoria, e a porcentagem é obtida como referência sobre o atirador que naquela pista e categoria conseguiu o menor tempo total (tempo de pista e penalidades).

Tiro Tático Dinâmico | Os Alvos

Os alvos de TIRO TÁTICO DINÂMICO a receberem impacto são de cor parda e possuem zonas com as marcações: “0” (zero), “2” (dois), “4” (quatro) e “5” (cinco). As marcações são computadas como tempo e somadas ao tempo final de pista de cada atirador.

Além disso, os alvos são classificados por grau de prioridade:

  • Alvo pardo com desenho de pistola;
  • Alvo pardo com desenho de faca;
  • Alvo pardo sem desenho;
  • Alvo pardo com desenho com mais proximidade do atirador;
  • Alvo pardo sem desenho com mais proximidade do atirador;
  • Alvo metálico ( poppers ou plates)

E uma coisa que nós nunca tínhamos visto: Alvo Moçambique e Alvo Colete. O alvo Moçambique deverá receber no mínimo “3” impactos, sendo “2” na região central (peito) e “1” na região superior (cabeça). Já o alvo Colete deverá receber apenas impactos na região superior (cabeça).

Enfim, já sentiu que o TTD vai te tirar da zona de conforto, né? É a realidade da rua trazida para o treinamento e competição!
Agora confere aí como a gente foi na pista!

Se inscreva no canal e nos siga em nossas redes sociais pois temos muito mais a caminho!

Valeu! Um abraço,
Liz Tristão

PATROCINADORA OFICIAL: INVICTUS TACTICAL & OUTDOOR

POSTS RELACIONADOS

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *